Culto no horário eleitoral

Por Dê, no blog DêJota

Publicado em 09/09/2010 às 12:37

Vi hoje um vídeo (abaixo) onde o Pastor Paschoal Piragine Jr, presidente da Primeira Igreja Batista de Curitiba, num de seus cultos, falou sobre as eleições 2010. Em sua fala, Paschoal diz que o Povo de Deus tem que ter cuidado em quem vai votar nessas eleições e para isso, diz que a Igreja tem que saber o que é iniquidade e a comparando-a ao pecado e dizendo que as pessoas em quem votamos é que vão votar nas casas legislativas pelo que ele chama de “institucionalização da iniquidade”.

Pois bem. Pra começar o Pr. Piragine está equivocado com o significado de iniquidade, que em sentido lato é a falta de equidade. Já equidade, segundo o Aurélio, é “Disposição de reconhecer igualmente o direito de cada um; Conjunto de princípios imutáveis de justiça que induzem o juiz a um critério de moderação e de igualdade, ainda que em detrimento do direito objetivo; Sentimento de justiça avesso a um critério de julgamento ou tratamento rigoroso e estritamente legal; Igualdade, retidão, equanimidade.”

O Pr. Paschoal convoca o Povo de Deus a entrar junto com “as igrejas” no que chamou de “cruzada”. Ao pensar no que eram as Cruzadas, as tais “Guerras Santas”, onde muita gente morreu porque a Igreja Católica medieval combatia todas as pessoas que não rezavam pela sua cartilha – ou Bíblia, como queiram; minha pergunta mais inquieta é: por que as igrejas também não se juntaram para combater a pedofilia, que acontece cada vez mais dentro das próprias igrejas (evangélicas e católicas) e, ao contrário da homossexualidade, é considerada um desvio sexual pela Organização Mundial de Saúde – OMS? Aliás, a mesma igreja vem tentando desviar o foco do escândalo da pedofilia jogando a culpa na homossexualidade, ao atribuí-la a práticas homossexuais. Isso não só é mentira, como cada dia mais vem se mostrando um sofisma. Os casos de meninos abusados por padres e outras autoridades eclesiásticas são mais frequentemente publicizados que os de meninas. Alguém se aventura a tentar dizer o porquê? Sendo simplista, eu diria machismo, mas acredito que esse buraco vai muito além do baixo ventre…

Aliás, o machismo é uma prática que a própria igreja é definitivamente favorável. Vejamos. O Levítico, terceiro livro do Velho Testamento é um dos que condenam a homossexualidade, chamando-a de abominação, ordena também que o povo Cristão guarde o sábado; que não toque em pele de porco morto; admite a compra e venda de escravos; indica que as adúlteras sejam apedrejadas. Na mesma bíblia não há nenhuma revogação dessas “leis”, mas será que as igrejas têm apedrejado quem não as cumpre? Já no Novo Testamento, o apóstolo Paulo ordena que as mulheres estejam caladas na Igreja, que a mulher seja submissa ao marido, que use véu na igreja… será que nas denominações que integram esta “Cruzada” as mulheres observam essas proibições? Será que as que são pastoras, cantoras, diaconizas e bispas não estão desobedecendo a “Lei”? Pelo visto, para a Igreja, SOMENTE as prescrições sexuais na bíblia são intocáveis, irrevogáveis, inquestionáveis e inegociáveis.

Interessante ainda é ouvir o Pr. Paschoal Piragine Jr demonizar o PT (Partido dos Trabalhadores), porque é o único partido que indica que suas e seus parlamentares votem a favor de temas como a descriminalização do aborto e do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, sob pena de expulsão do Partido; me faz pensar até onde o horário eleitoral gratuito tem chegado. Não vou entrar no mérito da campanha, pois não é este o objetivo deste blog. Além de pensar na intolerância contra homossexuais e na forma que a igreja trata a mulher, penso ainda sobre a mutilação de algumas crianças, que sofrem a circuncisão obrigatória e fazem esse procedimento sem anestésico algum. Bem… acho que para a maioria das igrejas o nascituro é mais humano que a criança.

A moça do vídeo mostrado pelo Pastor em dado momento fala que o Povo de Deus tem que “tirar a venda dos olhos”. A Bíblia também diz que o Povo de Deus não deve julgar outras pessoas e que é necessário primeiro tirar a trave do olho antes de falar do cisco no olho do outro. Isso está nos evangelhos:

(São Mateus 7,1-5)

Não julgueis, para que não sejais julgados.

Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós Por que observas o cisco no olho do teu irmão e não reparas na trave que está no teu próprio olho?

Ou, como podes dizer ao teu irmão: ‘Deixa-me tirar o cisco do teu olho’, quando tu mesmo tens uma trave no teu?

Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu próprio olho, e então enxergarás bem para tirar o cisco do olho do teu irmão.

(São Lucas 6,41-42)

Por que observas o cisco que está no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho?

Como podes dizer a teu irmão: ‘Irmão, deixa-me tirar o cisco do teu olho’, quando não percebes a trave que está no teu próprio olho? Hipócrita! Tira primeiro a trave que está no teu olho e, então, enxergarás bem para tirar o cisco do olho do teu irmão.

Eu só posso pensar que, palavra contra palavra, então viva a Constituição Federal que diz que todas as pessoas são iguais perante a lei. Viva o princípio da isonomia! Viva o estado laico, que é o Estado de Direito que rege o Brasil (ou ao menos deveria) desde a Proclamação da República, nos idos de 1889, o que denota o quanto esse pensamento consegue ser ainda mais retrógrado no sentido mais literal da palavra, significando uma nova “ordem inquisitória”, que é a de perseguir todas e todos que não seguem a mesma sacrossanta bíblia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: